sexta-feira, 12 de março de 2010

Dois pastores evangélicos morrem louvando um hino da Harpa Cristã

Dois pastores evangélicos e um motociclista morreram num acidente envolvendo sete veículos, na manhã de ontem, na Rodovia do Contorno, trecho da BR 101 que liga Serra a Cariacica no Espírito Santo.

Os religiosos pertenciam à Igreja Assembleia de Deus e haviam saído de Alegre, município da Região Sul do Estado, rumo a uma convenção estadual da igreja em Nova Carapina II, na Serra.

Os veículos – cinco caminhões, uma moto e um automóvel Del Rey – bateram um atrás do outro. O engavetamento aconteceu às 8h15, no quilômetro 277, na Serra. Os pastores estavam no carro.

Tudo começou quando um caminhão freou por causa do intenso fluxo de carros no sentido Cariacica – Serra. Os veículos que vinham atrás dele frearam também, mas o último caminhão – de uma empresa de cerveja – não conseguiu parar a tempo. Com isso, os veículos que estavam à frente foram imprensados uns contra os outros.

Os pastores José Valadão de Souza e Nelson Palmeira dos Santos e o motociclista Jonas Pereira da Silva, 52 anos, morreram no local. Dois outros pastores, que também estavam no Del Rey, sobreviveram, e o motorista de um dos caminhões sofreu arranhões nas pernas. Nenhum dos outros caminhoneiros ficou ferido.

O proprietário e condutor do Del Rey é o pastor Dimas Cypriano, 61 anos, do município de Alegre. Ele saiu ileso do acidente e teve ajuda do motorista José Carlos Roberto, carona de um dos caminhões, para sair do veículo.

Seu amigo de infância, o pastor Benedito Bispo, 72, ficou preso às ferragens. Socorristas do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) e bombeiros fizeram o resgate dele. O pastor teve politraumatismo e foi levado para o Hospital Dório Silva, na Serra.

A mulher de Benedito chegou a ver o marido sendo socorrido e teve que ser amparada por um familiar. Ela também seguia para a convenção num outro veículo. A rodovia ficou interditada durante vários momentos da manhã de ontem nos dois sentidos. O trecho só foi totalmente liberado no início da tarde.

O pastor Dimas Cypriano, que sobreviveu ileso ao acidente na manhã de ontem, no Contorno, contou que usava cinto de segurança e que ficou preso ao tentar sair. Ele dirigia o Del Rey e disse que precisou de ajuda para sair do carro. Mas depois continuou no local, acompanhando os trabalhos de resgate do colega, Benedito Bispo. Nas mãos, levava uma Bíblia que ficou suja de sangue. Mas isso não impediu que o pastor orasse durante o socorro.

O mais comovente do triste episódio, foi o relato dado por 2 pastores sobrevivente, e pelos bombeiros que tentavam tirar os pastores ainda com vida, que estavam presos nas ferragens.

As testemunha citadas acima, contam que os pastores Nelson Palmeiras e João Valadão, ainda com vida e presos nas ferragens, em meio a um mar de sangue que os envolvia, começaram a cantar o Hino 187 da harpa cristã:

Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor
Que me una a ti,
Sempre hei de suplicar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Andando triste
Aqui na solidão
Paz e descanso
A mim teus braços dão
Nas trevas vou sonhar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Minh’alma cantará a ti Senhor!
E em Betel alçará padrão de
Amor,
Eu sempre hei de rogar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

E quando Cristo,
Enfim, me vier chamar,
Nos céus, com serafins irei
Morar
Então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, meu Rei,
Meu Deus de ti!

Aos poucos suas vozes foram silenciando-se para sempre.

As lagrimas tomaram conta dos bombeiros, acostumados a resgatar pessoas em acidentes graves, porem jamais viram alguem morrer cantando um hino; como foi o caso dos pastores Nelson Palmeiras e João Valadão .

CRÉDITOS: resgatando a santidade

quarta-feira, 3 de março de 2010

Mas o SENHOR Deus é a verdade; ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno!

Estamos vivendo dias em que a humanidade procura um herói. De todas as nações procuram um pacificador alguém que trabalhe para promover a paz entre as pessoas (Mt 5.9). Mas não há quem encontre, levantam ídolos, líderes, mitos, mas não passam de vapor, não possuem consistência, envoltos em suas filosofias rasteiras, nada podem fazer para mudar o curso da história.

Enquanto os homens buscam seu herói, não percebem que esse vazio que os faz acreditar que possa haver alguém com poder suficiente para mudar o mundo, só pode ser peenchido pelo único e verdadeiro Deus, o Deus da verdade, o Deus de paz, o pacificador.

Os outros não passam de invenção!

Mas o SENHOR Deus é a verdade; ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno; ao seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. Jeremias 10:10

por: Igo gutemberg

terça-feira, 2 de março de 2010

Contemplando, de longe, as pinceladas.

"Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um
espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em
glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor"
(2 Coríntios 3:18).

Um pintor de paisagens não permanece sempre junto à sua
tela. Ele não deve limitar sua atenção para os detalhes
isolados do que está pintando. De tempos em tempos ele se
afasta um pouco e anda ao redor para visualizar seu trabalho
de longe. Ele precisa ver o que as milhares de pinceladas
produziram no trabalho global. Da mesma maneira, nossa
qualidade de vida melhoraria muito se pudéssemos
contemplá-la de longe para vê-la por inteiro. Nós podemos
nos tornar tão ocupados com nossas pinceladas diárias que
acabamos não tendo nenhuma percepção real de toda a cena que
pintamos na tela dos anos. Nossa atenção pode estar tão
absorvida pelos requisitos da vida diária que temos pouca
consciência das dimensões e direção da vida propriamente
dita. Precisamos nos afastar um pouco da tela e tentar ver a
cena por inteiro. Devemos olhar além dos episódios diários
de nossas ações variadas para ver a glória de tudo. Devemos
olhar além das pinceladas para ver a arte que as pinceladas
fizeram -e continuam fazendo.

Como estamos avaliando a nossa vida aqui neste mundo? Como
Deus está avaliando o nosso testemunho? Estamos olhando
apenas o que fazemos, de perto, crendo que somos as mais
perfeitas criaturas e que, se alguma coisa está errada, é
culpa dos outros, ou temos procurado analisar o nosso
comportamento diante de nossa família, de nossa igreja, das
pessoas que estão próximas e das que poderão ser
influenciadas pelas nossas atitudes?

Quando pincelamos o quadro de nossos dias, temos em mente o
que os outros verão ou não nos importamos com isso? Queremos
agradar apenas aos nossos próprios olhos ou desejamos que a
tela de nossa vida sirva de exemplo para muitos e de bênçãos
para todos?

Se você tem olhado o quadro de sua vida apenas pelo ângulo
de seus interesses, comece a olhá-lo como se fosse outra
pessoa e veja se as pinceladas são de seu agrado.

Pr. Paulo Roberto Barbosa - do site Escuro Iluminado