segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Empate técnico em Caruaru para 2012

A eleição em Caruaru deve realmente ser uma das mais disputadas da história. A pesquisa do Instituto Exatta divulgada hoje pela Folha de Pernambuco mostra um cenário disputadíssimo entre as duas principais lideranças na cidade. Segundo o Exatta, o prefeito José Queiroz está na frente das intenções de voto em Caruaru. Ele tem 35%, em segundo lugar aparece Miriam Lacerda com 31% da preferência na pesquisa estimulada, cuja margem de erro máxima é de 4,9%, o que configura empate técnico. Ainda apareceram na pesquisa estimulada, a secretária estadual Laura Gomes com 5%, Diogo Cantarelli com 3% e Rivaldo Soares 2% . Entre os eleitores, 14% disse que não votariam em nenhum e 10% não sabem ou não opinaram.

Com esta margem de erro, o prefeito José Queiroz tem entre 30% e 40% e a ex-deputada tem entre 26% e 36%. Queiroz também leva vantagem na pesquisa espontânea, quando o nome do candidato é apresentado ao eleitor. O prefeito foi lembrado por 23% dos entrevistados, contra 12% de intenções de voto para Miriam. Nesse cenário, o deputado estadual Tony Gel somou 5%, o que significa que o casal, junto, obteve 17%, também se aproximando do percentual de José Queiroz. Diogo Cantarelli e Rivaldo Soares obtiveram 1%. Já Laura Gomes e Marcelo Rodrigues também foram lembrados, mas não chegaram a 1%, enquanto 11% dos entrevistados declararam não votar em nenhum nome, enquanto 47% não souberam ou não opinaram.























Números de hoje: aprovação de Zé Queiroz supera 61%


Números saídos do forno na tarde desta quinta mostram que a situação do prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), não é tão complicada como se especulou após críticas feitas a ele e à sua gestão pelo governador em exercício, João Lyra, também pedetista.

Pesquisa concluída pelo Cipec, do consultor do governo do estado Diego Brandy, revela que a administração de Zé Queiroz é aprovada por 61,2% e desaprovada por 36,5% da população caruaruense.

O impacto dos três anos da gestão no município também foi apurado pelo levantamento. Foi detectado que que 73,9% dos entrevistados consideram que Caruaru está “melhor” ou “igual”. Outros 23,9% responderam que está “pior” ou “igual”.

No que diz respeito à intenção de voto, a pesquisa apurou o seguinte: José Queiroz aparece com 45%, contra 33,8% de Miriam Lacerda (DEM), ex-deputada estadual e ex-primeira-dama do município.

O levantamento do Cipec foi feito no último final de semana e incluiu mil questionários. A enquete faz parte da análise periódica que municia o governador Eduardo Campos com avaliações trimestrais dos municípios.





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Em fim, FICHA LIMPA tá valendo

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, afirmou ao G1 que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de validar a aplicação integral da Lei da Ficha Limpa vai criar um "filtro" contra a corrupção na política brasileira, que, para ele, começará pelos partidos políticos.

Com a decisão do STF, ficam proibidos de se eleger por oito anos os políticos condenados pela Justiça em decisões colegiadas, cassados pela Justiça Eleitoral ou que renunciaram a cargo eletivo para evitar processo de cassação.

"Foi uma vitória da cidadania, da democracia participativa. A lei terá impacto benéfico já nas eleições de 2012. Os partidos terão de escolher candidatos baseados nos critérios da lei. Os que passarem por esse filtro dos partidos serão os melhores.", afirmou o presidente do TSE.

Para Lewandowski, a ficha limpa "aumenta muito a responsabilidade dos partidos". O ministro avalia que a escolha dos candidatos não ficará mais restrita a um critério subjetivo dos dirigentes partidários.

"Agora, temos critérios objetivos que permitem eliminar os que não estão aptos em função de uma vida pregressa desabonadora", declarou.

Quase dois anos depois de entrar em vigor, a Lei da Ficha Limpa foi declarada constitucional na noite desta quinta-feira (16) pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por sete votos a quatro, o plenário determinou que o texto integral da norma deve valer a partir das eleições de outubro.

Principal defensor de Lei da Ficha Limpa, desde os primeiros questionamentos na Justiça Eleitoral, Lewandowski explicou que a decisão é definitiva e impede as incertezas que marcaram as eleições gerais de 2010. Em março, o próprio Supremo chegou derrubar a validade da norma para as eleições daquele ano.

"A população terá de se acostumar que a lei é uma realidade e pode confiar que os candidatos escolhidos terão a ficha limpa. Os poucos que passarem serão barrados pela Justiça", disse o ministro.

Para Lewandowski, o resultado de longo prazo da validade da ficha limpa será uma "conscientização" por parte do eleitor.

"Acho que vai gerar grande conscientização do eleitor, que fará pressão sobre partidos para que os melhores candidatos sejam escolhidos, do pontto de vista da vida pregressa. Saio em abril com a consciência tranqüila e o sentimento de dever cumprido", disse o ministro, que deixará a presidência do TSE antes das eleições deste ano.

Confira abaixo os principais pontos da Lei da Ficha Limpa sobre os quais o STF se manifestou.

Presunção de inocência - O principal questionamento sobre a ficha limpa era o de que a lei seria inconstitucional ao tornar inelegíveis políticos condenados que ainda poderiam recorrer da decisão. O STF decidiu que a lei não viola o princípio que considera qualquer pessoa inocente até que ela seja condenada de forma definitiva. Essa decisão permite a aplicação da lei a pessoas condenadas por órgão colegiado, mas que ainda podem recorrer da condenação.

Fatos passados - A ficha limpa também foi contestada por atingir fatos que ocorreram antes da sua vigência, inclusive ao determinar o aumento de três para oito anos do prazo que o político condenado ficará inelegível. A maioria do STF decidiu que a lei se aplica a renúncias, condenações e outros fatos que aconteceram antes de a ficha limpa entrar em vigor, em junho de 2010.

Renúncia - A proibição da candidatura nos casos de renúncia de cargo eletivo para escapar de cassação foi mantida pelos ministros do STF. A maioria do tribunal defendeu que a renúncia é um ato para "fugir" do julgamento e que deve ser punido com a perda do direito de se eleger.

Prazo de inelegibilidade - A Lei da Ficha Limpa determina que os políticos condenados por órgão colegiado fiquem inelegíveis por oito anos. Esse período é contado após o cumprimento da pena imposta pela Justiça. Por exemplo, se um político é condenado a 10 anos de prisão, ficará inelegível por 8 anos a contar do fim do cumprimento da pena. Na prática, ele não poderia se candidatar por 18 anos.

Rejeição de contas - A lei torna inelegíveis políticos que tiveram contas relativas a cargos públicos rejeitadas. Por exemplo, um prefeito que tenha tido as contas do mandato reprovadas por um tribunal de contas.

Órgãos profissionais - O Supremo manteve o dispositivo da Lei da Ficha Limpa que torna inelegíveis pessoas condenados por órgãos profissionais, devido a infrações éticas, como nos casos de médicos e advogados que eventualmente forem proibidos de exercer a profissão pelos Conselhos da classe.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Senador Magno Malta aceita pedido de perdão do secretário geral

O Ministro Gilberto Carvalho foi ao Congresso Nacional explicar para os parlamentares religiosos os fatos que aconteceram durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. Mas, além de culpar a imprensa e dizer que tudo foi um mal entendido, Gilberto exigiu que a reunião fosse fechada, sem a presença de assessores e jornalistas. Senador Magno Malta, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família, não gostou e queira transparência para esclarecer todos os pontos que causaram o imbróglio político sendo considerada uma disputa ideológica.

Gilberto Carvalho pediu perdão à bancada evangélica e negou ter dito que o governo teria intenção de enfrentar os evangélicos pelo controle ideológico da classe C e que o Planalto prepara uma rede de comunicação para combatê-los. No entanto, pediu perdão pela repercussão das declarações dadas durante o Fórum Social Mundial. O ministro trouxe ainda um recado da presidente Dilma Rousseff reafirmando que o governo não vai tomar qualquer iniciativa para alterar a legislação sobre aborto.

"A presidente Dilma pediu que eu reafirmasse para a bancada que a posição do governo sobre o aborto é a posição que ela assumiu já na campanha eleitoral, que está escrita em todo esse processo e que a posição do governo está absolutamente clara e assim vai continuar", disse Carvalho, com um sorriso amarelo, evitando ser fotografado. “Isto eu já sei, para conversar com a Presidenta Dilma não preciso de interlocutor, mas agora vou acompanhar a coerência dos Ministros que falam sem antes ouvir a Dilma. Não teve nenhuma novidade, apenas Gilberto transferiu a responsabilidade do que falou para a imprensa”, relatou Magno Malta.

Cobrado por suas declarações, como era de se esperar, ele acusou a imprensa de distorcer suas palavras. Os parlamentares, entretanto, queriam mais: por iniciativa do deputado Anthony Garotinho (PSC-RJ), propuseram que o ministro assinasse um documento confirmando por escrito o desmentido. O petista não aceitou. "Ninguém pede perdão se não reconhece o erro", concluiu Magno Malta, líder do PR no Senado e o primeiro a atacar Carvalho nesta polêmica.

“Não podemos apedrejar ninguém. Cristão tem que buscar compreender os erros e as falhas do homem que não é perfeito. Mas errar de novo não aceitaremos. Melhor que pedir perdão é não repetir o erro. E, veja só, o Ministro derrapou na verdade, não assumiu o que foi dito pela imprensa e exigiu uma reunião secreta. Confiança é igual o cristal, quando quebra não tem remendo. Achei pouco proveitosa a explicação do Gilberto, que daqui para frente terá que ser coerente com suas palavras”, finalizou Magno Malta, com notório semblante de desapontamento.

Fonte: Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Ministério da Saúde posta vídeo no Youtube e bancada evangélica manda retirar!

O Ministério da Saúde mandou retirar do Youtube um vídeo que promovia o uso de preservativos durante o carnaval. O detalhe é que o vídeo continha um casal homossexual trocando carícias.

A determinação para a retirada do vídeo do canal do Ministério da Saúde foi repassada ao Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais por pressão da bancada evangélica no Congresso. O vídeo faz parte da campanha de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis no carnaval e era dirigido a jovens homossexuais de 18 a 24 anos, segundo informações do site MixBrasil.
 


O deputado federal Marco Feliciano postou no Twitter informação que confirmava a pressão dos evangélicos para a retirada da campanha com ênfase gay: “Pressão Nossa —: Ministério da Saúde manda tirar do site vídeo com cena homossexual”, escreveu o pastor. 

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde divulgou comunicado informando que o vídeo foi produzido para ser veiculado em ambientes fechados e em festas, atingindo apenas ao público alvo. Segundo a nota, por engano o vídeo foi postado no Youtube, e por isso, foi removido da internet: “O vídeo não foi vetado, já estava no planejamento que ele iria para ambientes fechados. Acabou indo para o site do Departamento de AIDS por equívoco”, explicou a assessoria.

Fonte: Gospel+

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Partido Progressista (PP) está “totalmente unificado”.

O novo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, afirmou nesta segunda-feira (6) ao G1 que o Partido Progressista (PP) está “totalmente unificado”. Ribeiro esteve na Câmara para participar da escolha do novo líder da bancada do partido - Arthur Lira (AL) foi o eleito - e para se licenciar do mandato, antes de tomar posse como ministro.

“O partido está completamente unido. Não existe mais grupo A, grupo B, o que existe é o Partido Progressista totalmente unificado. Isso, sem dúvida nenhuma, me dá novo ânimo para trabalhar, para trabalhar, dar respostas ao país, à presidente Dilma, num ministério que é tão importante e tem tantas ações”, disse.

Nesta sexta (3), o ex-ministro das Cidades Mário Negromonte disse que foi alvo de “fogo amigo” e que deixou o cargo para evitar divisões no PP. “Saí para dar conforto tanto a mim quanto à presidenta Dilma. Saio também em virtude da divisão política que há no PP, até para que a gente pare de apanhar”, disse.

Aguinaldo Ribeiro também comentou as denúncias de irregularidades divulgadas nos últimos dias pela imprensa. Segundo ele, as acusações “não têm a menor consistência.” “As questões que nos foram colocadas nós respondemos de forma absolutamente tranquila. Umas coisas chegam a ser sem a menor consistência.”

O novo ministro não quis explicar reportagem publicada nesta segunda no jornal “Folha de S.Paulo” de que seria dono de duas emissoras de rádio no interior da Paraíba que estão em nome de seu ex-contador e de um assessor.

“Estamos respondendo através da nossa assessoria. O pessoal da assessoria vai explicar. Vai ser feita [uma nota]. É melhor porque teremos uma explicação mais técnica”, disse.

Equipe
Aguinaldo Ribeiro afirmou que ainda não definiu quem será o novo secretário-executivo do ministério.

Nesta segunda, foi publicada no “Diário Oficial da União” a exoneração do secretário-executivo na gestão de Negromonte, Roberto de Oliveira Muniz, que pediu demissão na última quinta (2).

Segundo o novo ministro das Cidades, a escolha da equipe será “técnica”. “É lógico que sempre existe um componente político, mas meu critério vai ser a capacitação técnica. Eu acho que a gente tem que primar pelo técnico. Isso não inviabiliza que você possa ter uma vinculação política, mas minha prioridade será um time vencedor, executivos e pessoas que conheçam as áreas, que tenham visão de Brasil”, disse.

Ele afirmou que a orientação da presidente Dilma Rousseff é "trabalhar" e apresentar resultados. "A orientação é trabalhar e atender os resultados que a presidente espera e que o Brasil precisa", declarou.

Fonte: Rádio Liberdade Caruaru

Thalles Roberto emplaca canção no Fantástico

Mais uma vez uma música evangélica serviu de trilha sonora para o quadro dos Artilheiros Musicais, do programa Fantástico, da Rede Globo. Na edição do último domingo, a canção escolhida foi “Deus da Minha Vida”, do cantor Thalles Roberto, escolhida pelo jogador Lima que marcou três gols para o time do Joinville.

O quadro passa todos os domingos durante o Fantástico e mostra os jogadores que mais fizeram gols no final de semana. Cada atleta que marcar três ou mais gols pode pedir uma canção para ser a trilha sonora do resumo do jogo e muitos deles pedem canções evangélicas.

A canção escolhida faz parte do CD Na Sala do Pai, lançado em 2009 marcando o início da carreira gospel do músico mineiro, que já fez parte de bandas como Jota Quest. Depois desse lançamento Thalles passou a ser conhecido nacionalmente.

Em 2011, o cantor lançou um CD e DVD duplos com 22 canções entre regravações e músicas inéditas. “Uma História Escrita pelo Dedo de Deus” foi gravado ao vivo no Chevrolet Halll, em Belo Horizonte, e desde seu lançamento tem feito muito sucesso não só em vendas como também nas rádios de várias cidades do Brasil.

Fonte VerdadeGospel / GospelPrime

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Xote Santo. Crente que não lê a Bíblia!


PT quer calar a voz dos líderes evangélicos.



O pastor Silas Malafaia publicou comentário sobre a declaração de Gilberto Carvalho, homem forte no Partido dos Trabalhadores, de que é preciso calar a liderança evangélica e prover informação para a classe C.

Para o pastor, líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, o PT defende “a legalização do aborto, das drogas, a união civil homossexual, com destaque para aprovação do PL122, que além de ser uma afronta a Constituição, privilegia os homossexuais”.

Silas ainda ressalta as propostas adotadas pelo partido e destaca a inconformidade dos políticos com a firmeza dos líderes evangélicos na defesa de seus princípios: “Os ideólogos desse partido entre os quais se inclui o senhor Gilberto de Carvalho, não engolem a postura firme dos evangélicos em combater o lixo moral que o PT defende, e para ser justo e honesto, outros partidos políticos defendem a mesma coisa”, afirma o pastor no artigo publicado no site Verdade Gospel.

Lembrando as palavras do Apóstolo Paulo, Silas Malafaia afirma que se o partido enveredar pelo caminho da disputa com os evangélicos, será uma decisão errada. “Se o PT quer confronto com os evangélicos vão perder tempo porque nós não lutamos no dizer do Apóstolo Paulo, contra a carne e o sangue, mas sim contra principados, potestades, príncipe das trevas, hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Não estamos disputando ideologicamente nada com ninguém. O que fazemos é pregar o Evangelho que transforma o homem na sua totalidade: biologicamente, psicologicamente, socialmente e espiritualmente. Se isto incomoda o PT, ‘azar o deles’. Não vamos abrir mão de nossas convicções seja por pressão ou por coptação. A Igreja de Jesus é invencível, quem se levantar contra Ela vai cair”, brada o pastor.

Dirigindo-se aos evangélicos, o pastor Silas Malafaia alerta para a estratégia adotada pelo PT para lidar com adversários: “Os métodos que eles utilizam são dois. Primeiro: ou conquista você com as benécies (sic) do poder. Segundo: ou montam dossiês e fabricam calúnias e difamações para desqualificar as pessoas. Não se espantem se amanhã tiver notícias em jornais para incriminar líderes evangélicos, e sem nenhuma presunção, ou orgulho, sei que eu sou um dos principais. Só que ao utilizarem o segundo método vão verificar que o povo de Deus segue a Jesus e não a homens. Isto vai fortalecer a fé do povo e fazer com que a Igreja cresça ainda mais. A história confirma o que acabo de dizer”.

Leia abaixo a íntegra do comentário do pastor Silas Malafaia:
1. Não demonizo partido político nenhum. Como todos sabem, já votei em Fernando Henrique, Lula e Serra. Voto em pessoas e não em partidos, porque todos eles possuem ideologias que ao serem confrontadas com a nossa fé, ficam devendo.
2. Não tenho autoridade para falar em nome dos evangélicos, mas creio que posso interpretar a opinião da maioria. Nós evangélicos não estamos em guerra com nenhum partido político, somos a favor do Estado Laico, das garantias individuais e de ampla liberdade de imprensa.
3. A questão do PT é que eles defendem a legalização do aborto, das drogas, a união civil homossexual, com destaque para aprovação do PL122, que além de ser uma afronta a Constituição, privilegia os homossexuais. Fora tentar de todas as formas ensinar o homossexualismo nas escolas através do Kit Gay. Isto é o que o PT tem lutado para aprovar no Congresso Nacional, bem como defendido em documentos divulgados pelo partido.
4. Os ideólogos desse partido entre os quais se inclui o senhor Gilberto de Carvalho, não engolem a postura firme dos evangélicos em combater o lixo moral que o PT defende, e para ser justo e honesto, outros partidos políticos defendem a mesma coisa.
5. Se o PT quer confronto com os evangélicos vão perder tempo porque nós não lutamos no dizer do Apóstolo Paulo, contra a carne e o sangue, mas sim contra principados, potestades, príncipe das trevas, hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Não estamos disputando ideologicamente nada com ninguém. O que fazemos é pregar o Evangelho que transforma o homem na sua totalidade: biologicamente, psicologicamente, socialmente e espiritualmente. Se isto incomoda o PT, “azar o deles”. Não vamos abrir mão de nossas convicções seja por pressão ou por coptação. A Igreja de Jesus é invencível, quem se levantar contra Ela vai cair.
6. Quero deixar um alerta ao povo evangélico, chamando a atenção da liderança. Os métodos que eles utilizam são dois. Primeiro: ou conquista você com as benécies do poder. Segundo: ou montam dossiês e fabricam calúnias e difamações para desqualificar as pessoas. Não se espantem se amanhã tiver notícias em jornais para incriminar líderes evangélicos, e sem nenhuma presunção, ou orgulho, sei que eu sou um dos principais. Só que ao utilizarem o segundo método vão verificar que o povo de Deus segue a Jesus e não a homens. Isto vai fortalecer a fé do povo e fazer com que a Igreja cresça ainda mais. A história confirma o que acabo de dizer.
7. Quero ser repetitivo para marcar muito bem a minha posição. Não demonizo partido político e se tiver que votar em alguém do PT farei isto sem nenhum problema. Como disse anteriormente, eu voto em pessoas e não em partido político. Por favor, peço ao povo evangélico que divulgue o máximo que puderem toda esta matéria. A Bíblia diz que a única coisa que pode destruir o povo de Deus é a falta de conhecimento (Oseias 4:6). O povo evangélico precisa conhecer o que está acontecendo.

Fonte: Gospel Mais