segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Partido Progressista (PP) está “totalmente unificado”.

O novo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, afirmou nesta segunda-feira (6) ao G1 que o Partido Progressista (PP) está “totalmente unificado”. Ribeiro esteve na Câmara para participar da escolha do novo líder da bancada do partido - Arthur Lira (AL) foi o eleito - e para se licenciar do mandato, antes de tomar posse como ministro.

“O partido está completamente unido. Não existe mais grupo A, grupo B, o que existe é o Partido Progressista totalmente unificado. Isso, sem dúvida nenhuma, me dá novo ânimo para trabalhar, para trabalhar, dar respostas ao país, à presidente Dilma, num ministério que é tão importante e tem tantas ações”, disse.

Nesta sexta (3), o ex-ministro das Cidades Mário Negromonte disse que foi alvo de “fogo amigo” e que deixou o cargo para evitar divisões no PP. “Saí para dar conforto tanto a mim quanto à presidenta Dilma. Saio também em virtude da divisão política que há no PP, até para que a gente pare de apanhar”, disse.

Aguinaldo Ribeiro também comentou as denúncias de irregularidades divulgadas nos últimos dias pela imprensa. Segundo ele, as acusações “não têm a menor consistência.” “As questões que nos foram colocadas nós respondemos de forma absolutamente tranquila. Umas coisas chegam a ser sem a menor consistência.”

O novo ministro não quis explicar reportagem publicada nesta segunda no jornal “Folha de S.Paulo” de que seria dono de duas emissoras de rádio no interior da Paraíba que estão em nome de seu ex-contador e de um assessor.

“Estamos respondendo através da nossa assessoria. O pessoal da assessoria vai explicar. Vai ser feita [uma nota]. É melhor porque teremos uma explicação mais técnica”, disse.

Equipe
Aguinaldo Ribeiro afirmou que ainda não definiu quem será o novo secretário-executivo do ministério.

Nesta segunda, foi publicada no “Diário Oficial da União” a exoneração do secretário-executivo na gestão de Negromonte, Roberto de Oliveira Muniz, que pediu demissão na última quinta (2).

Segundo o novo ministro das Cidades, a escolha da equipe será “técnica”. “É lógico que sempre existe um componente político, mas meu critério vai ser a capacitação técnica. Eu acho que a gente tem que primar pelo técnico. Isso não inviabiliza que você possa ter uma vinculação política, mas minha prioridade será um time vencedor, executivos e pessoas que conheçam as áreas, que tenham visão de Brasil”, disse.

Ele afirmou que a orientação da presidente Dilma Rousseff é "trabalhar" e apresentar resultados. "A orientação é trabalhar e atender os resultados que a presidente espera e que o Brasil precisa", declarou.

Fonte: Rádio Liberdade Caruaru

Nenhum comentário:

Postar um comentário