Manifesto contra o PT


Publicado em :Domingo, 26/09/2010

Pastores organizam ato e alegam que petistas "atentam contra a Bíblia" numa crítica implícita à candidatura da ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff

Doze igrejas evangélicas de Jaboatão dos Guararapes realizam, quase às vésperas da eleição, um protesto político nada comum no estado. O evento que começa às 16h de amanhã prevê carreata com saída na Rua Santo Elias, em Prazeres, e pastores de várias denominações pretendem fazer um manifesto pró-família e contra o Partido dos Trabalhadores (PT). Para o presidente do Conselho de Pastores, Pedro Rodrigues dos Santos, que conta com o apoio de mais 11 pastores de igrejas diferentes, nunca houve tantos ataques no país contra a família como na gestão do PT.

Um manifesto assinado por 12 pastores de igrejas tradicionais de Jaboatão, como a Assembleia de Deus, a Assembleia de Deus Madureira, a Batista (de Prazeres, Jaboatão e Cavaleiro), a Presbiteriana, a Anglicana, a Metodista, a Brasil para Cristo, entre outras, apresenta, em quatro páginas, um "Manifesto pela família", e enfatiza que o PT está à frente de vários projetos e programas que atentam contra os ensinamentos da Bíblia.

De acordo com o pastor Pedro Rodrigues, existem pelo menos três projetos em tramitação na Câmara dos Deputados, de autoria de deputados petistas, que "beneficiam o segmento homossexual e ameaçam amordaçar a igreja". Ele também ressalta que o Programa Nacional de Direitos Humanos aprovado pelo presidente Lula no final de 2009 é uma "afronta ao que pregou Jesus Cristo".

"Não há dúvidas que esse movimento é contra o PT e contra a presidenciável Dilma Rousseff. O PT é a favor da descriminalização do aborto, da legalização da maconha, das cirurgias de mudança de sexo, da Lei contra a homofobia (PLC 122/2006), da legalização da prostituição, do casamento homossexual#", enumerou. "Nosso maior candidato é Jesus", acrescentou Pedro Rodrigues.

Indagado se esse protesto, a uma semana das eleição, não beneficiaria o presidenciável José Serra (PDSB) ou a candidata Marina Silva (PV), o pastor reconheceu que sim. "Agora, se eles (os candidatos) também forem a favor de todas essas coisas defendidas pelo PT, vão ter uma Igreja aguerrida contra eles. Acabou-se o tempo da Igreja calada. Não queremos que o estado invada a Igreja", disparou o pastor.

O presidente estadual do PT, Jorge Perez, disse estar surpreso com esse tipo de protesto político. "Isso parece uma armação", declarou, ao saber do conteúdo do manifesto que vem circulando nas Igrejas de Jaboatão. O texto do manifesto diz, entre outros pontos, que uma "vitória do PT ou associados" trará graves consequências aos evangélicos, como "cultos a portas fechadas" e "obrigação de pagar impostos sobre dízimos e ofertas". "Tem pontos que são pura mentira e vamos encaminhá-los para apreciação do nosso jurídico", avisou Perez.

De acordo com o presidente da ONG Leões do Norte, Wellington Medeiros, o projeto 122/2006, da deputada Iara Bernardi (PT-SP), criminaliza a homofobia, mas não impede que os pastores preguem aquilo que acreditam nos cultos. "Eles só não podem fazer isso em rádios e televisões, que são concessões públicas", advertiu. "Esses pastores estão usando o nome de Deus para castigar uma parcela da sociedade que precisa da proteção do estado. Isso é hipocrisia", completou Wellington.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bragger - A doença das redes sociais.

Perdas E Ganhos