O arranha céu chinês e a torre de Babel

Em novembro, a China anunciou que vai construir o edifício mais alto do mundo, próximo ao rio Xiangjiang, na cidade de Changsha, sudeste do país. O fato que repercutiu na mídia de todo o mundo foi o tempo prometido para a duração das obras: 90 dias.

Com 838 metros de altura, o arranha-céu terá estruturas pré-fabricadas que agilizarão a construção. De acordo com o site da revista inglesa The Economist, tais estruturas são como peças de "Lego". A velocidade média anunciada pela famosa construtora BSB (Broad Sustainable Building) é de nove andares por dia – dez vezes acima da média de evolução das construções de arranha-céus pelo mundo.

A Economist elaborou uma lista, na qual o Empire State Building, de Nova York, foi a obra erguida mais rapidamente - demorou cerca de um ano.

Sky City One - Changsha (China)

O prédio ainda será construído na China em 2013 e deverá estar pronto em apenas 90 dias, ou seja, alcançará um duplo recorde tanto na altura quanto na velocidade das obras. Altura: 838m  Andares: 220  Tempo de construção: 90 dias

Gênesis 11.1-9


O relato de Gênesis acima conta a história da famosa Torre de Babel, um arranha-céu dos tempos bíblicos que enaltecia o homem, e não a Deus.

A construção teria sido erguida em Babel, corte da Babilônia, região célebre pela fertilidade e pela localização estratégica. De tão alta, daria a impressão de tocar o céu, alcançando alturas até então nunca imaginadas por uma obra do homem. Como Gênesis mostra, Deus não achou correto o homem se unir em um grupo tão forte a ponto de se achar auto-suficiente. Fez cessar a construção do grande templo que o homem erguia para ele mesmo e espalhou a espécie humana pela terra, com línguas diferentes, para que não pudesse novamente se reunir para o intento.

Gênesis descreve a construção como uma cidade vertical e autossuficiente, um grande complexo cujo cimo colocaria seus habitantes em uma posição privilegiada, segundo seus próprios olhos.



Babel, extremamente rica e poderosa, era como uma Nova York ou Londres dos dias atuais: cidades importantes e influentes na conjuntura mundial. Portanto, compreensível a pretensão dos babilônicos em construir aquela que chamaram Etemenanki (“Fundação do Céu e da Terra”).

Torres no formato descrito eram comuns em Sinar – área que ficava onde hoje é o sul do Iraque. Eram os chamados zigurates: templos com grandes bases, em formato geralmente piramidal, tidos como escadas pelas quais os deuses desciam à Terra, ou o homem subia ao Céu. Em ilustrações sobre a Babilônia, é comum ver a torre em espiral ao longe.

Mais do que uma alegoria para explicar a diversidade de línguas e culturas do povo terrestre, o exemplo da Torre de Babel não se resume a uma tentativa material de o homem sentir-se poderoso, mas a uma tentativa espiritual de chegar aos Céus sem a tão necessária ajuda dEle, sem aceitá-lo como o verdadeiro Senhor de tudo o que existe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bragger - A doença das redes sociais.

O Mundo está em chamas, e o Brasil está doente! ”

Perdas E Ganhos